Revista do Livro da Biblioteca Nacional, ano 14, n. 44

“A Revista do Livro retorna aos seus leitores após 31 anos de ausência. Lançada em 1956 pelo antigo Instituto Nacional do Livro (INL), ela circulou durante 16 anos, até 1970, quando saiu o número 43, abrigando em suas páginas os nomes mais expressivos da inteligência brasileira.

O presente volume representa a retomada do que foi um dos projetos editoriais mais bem-sucedidos na área do antigo Ministério da Educação e Cultura. Demos-lhe o número 44 para expressar uma proposta de continuidade. Estampamos na capa a mesma foto - um Machado de Assis jovem, de barba gloriosamente inculta — que figurou na capa do primeiro número, antes de executado o elegante projeto gráfico de Tomás Santa Rosa Jr., a partir do número 2, que se tornaria marca registrada da publicação.

A nova Revista do Livro pretende ser fiel ao padrão de qualidade da sua primeira fase. Algumas mudanças de forma e conteúdo se fizeram necessárias para adaptá-la à realidade do nosso tempo. Mantivemos o mesmo formato mas a concepção gráfica mudou. Tornou-se, também, menos "literária" em relação ao seu paradigma. A extraordinária expansão do mercado editorial brasileiro nas três últimas décadas não poderia deixar de se refletir numa publicação que trata de livros como a nossa. Abrimos espaço, da mesma forma, para a ciência da informação, levando em conta a importância cada vez maior que as bibliotecas públicas assumem na nossa sociedade. A produção acadêmica brasileira, que aumentou em quantidade e qualidade, estará também mais representada na atual Revista do Livro.

Com o foco na atualidade, não abandonaremos algumas referências fundamentais. A partir deste número começamos a republicar textos que, embora produzidos há muitos anos, não perderam o viço: tornaram-se clássicos. É o caso do artigo "A biblioteca de Machado de Assis", de Jean-Michel Massa (publicado em francês, em 1961, no número 21-22 da Revista do Livro) e "De Machadinho a Brás Cubas" de Augusto Meyer (que saiu no número 11, em 1958). Convertidos em raridades bibliográficas, de acesso mais ou menos restrito aos pesquisadores, esses trabalhos de alta qualidade vêm de novo à luz para o desfrute do leitor contemporâneo.

Outra novidade é a entrevista que passa a abrir cada edição. Neste número apresentamos José Mindlin, numa homenagem ao homem e a seu mister. Decano da bibliofilia no Brasil, Mindlin fala sobretudo do amor ao livro - que foi e continua sendo a base desta publicação.”

(texto da apresentação)

Características (título)

Ano de publicação: 
2002

Rótulos

Revistas e Periódicos

Revista do Livro

Lançada em 1956 pelo antigo Instituto Nacional do Livro, a Revista do Livro da Biblioteca Nacional contou com nomes expressivos como Carlos Drummond de Andrade, Alexandre Eulálio e Augusto Meyer e continua um importante espaço do pensamento bibliológico, biblioteconômico e bibliográfico brasileiro.