“As propriedades do partido inimigo inquestionavelmente sujeitas à condenação”: A política de aprisionamento de Lorde Cochrane no Maranhão e o caso da embarcação Pombinha

Diciembre, 2020
Roni César Andrade de Araújo
Pesquisa
Maranhão, independência do Brasil, Rio de Janeiro, Imprensa, Boas Presas

Bolsista Doutor

O presente projeto visa estudar a tensão pela definição do “ser brasileiro” e “ser português”, no Maranhão pós-1823, a partir dos conflitos envolvendo a política de apresamento de embarcações adotadas por Lorde Cochrane. Tomando por base as informações registradas em jornais que foram publicados no Rio de Janeiro no ano de 1824, e outros documentos manuscritos que circularam entre Rio de Janeiro e Maranhão, buscar-se-á, a partir da análise do caso específico do apresamento da embarcação chamada Pombinha, estabelecer um diálogo entre os aspectos legais da reclamação de Cochrane, ao que ele considerava seu direito às “boas presas”, e o direito à propriedade de cidadãos cuja identidade nacional ainda estava por ser definida.