Praga: a pandemia na literatura e na arte

segunda-feira, 4 de maio de 2020.
Notícia
Fundação Biblioteca nacional, Idade Média, Eneida, Virgílio, Rafael
As pandemias são doenças contagiosas que têm uma propagação muito rápida. As taxas de mortalidade são responsáveis por causar maior ou menor pânico. A Praga dizimou cidades inteiras na Europa da Idade Média. Na ânsia de se salvarem, os mais abastados costumavam mudar de cidade assim que a Peste chegava.

cobertura-6390-praga-pandemia-literatura-arte.jpg

A imagem é uma gravura a Buril elaborada no início do século XVI pelo gravador Marcantonio de Raimondi (ca. 1480-ca. 1534).
A imagem é uma gravura a Buril elaborada no início do século XVI pelo gravador Marcantonio de Raimondi (ca. 1480-ca. 1534).

Inspirado em uma das obras clássicas do poeta romano Virgílio, o pintor italiano Rafael Sanzio (1483-1520) representa nesta imagem os doentes abatidos pela praga em Creta, passagem do livro III de Eneida. A imagem é uma gravura a Buril elaborada no início do século XVI pelo gravador Marcantonio de Raimondi (ca. 1480-ca. 1534).

Em Eneida, seguindo orientação do oráculo Apollo, Enéas leva sua tropa até a ilha de Creta. Assim que se estabelece em Creta, uma praga atinge a ilha, matando animais e humanos. É então que uma profecia é anunciada a Enéas através da harpia Celeno. A harpia revela que o destino apontado pelo oráculo Apollo era na verdade Itália e não Creta, de forma que a praga teria sido um aviso de que aquele não seria o lugar em que deveriam estar.

A imagem apresenta na parte superior esquerda o sonho de Enéas em que lhe é apresentada a profecia. Na parte inferior da imagem, o artista representa as pessoas e animais caídos ao chão em Creta.

Por muito tempo as doenças epidêmicas foram vistas como sinais ou castigos dos deuses ao homem. Essa interpretação se deveu a falta de instrumentos científicos que trouxessem a luz as causas e tratamentos de tais doenças, motivo pelo qual se tornava aceitável atribuir a divindades tais fatos. Hoje, iluminados pelo saber científico, sabemos de onde as epidemias se originam, a forma como se propagam e podemos buscar os meios para sua cura e prevenção.