Lasar Segall: 90 anos do Baile de negros

segunda-feira, 25 de maio de 2020.
Notícia
Lasar Segall, pintor, artista, Baile de negros, Fundação Biblioteca nacional, Ngros do Brasil, Arte moderna, Modernismo brasileiro
Pintor, desenhista, gravador e escultor, Lasar Segall foi um artista lituano que se mudou para o Brasil aos seus 34 anos, em 1923. Com pinturas de um expressionismo construtivista, Segall desenvolve na Alemanha um estilo de pintura marcado por cores escuras, mais terrosas. Essa característica se altera com sua chegada ao Brasil, quando o artista passa a usar cores mais vibrantes para representar o povo brasileiro como os negros, as favelas e os imigrantes. A identificação de Segall com os brasileiros é tão grande que ele chega a produzir autorretratos em que se apresenta como negro.

cobertura-6461-lasar-segall-90-anos-baile-negros.jpg

Pintor, desenhista, gravador e escultor, Lasar Segall foi um artista lituano que se mudou para o Brasil aos seus 34 anos, em 1923.
Pintor, desenhista, gravador e escultor, Lasar Segall foi um artista lituano que se mudou para o Brasil aos seus 34 anos, em 1923.

Além das pinturas, Segall desenvolveu muitos trabalhos em gravuras com as mais variadas técnicas como gravura em metal e xilografia. Segall parece enxergar a essência do povo brasileiro quando mostra que, apesar de sofrido, o povo brasileiro não deixa de festejar a vida, como na gravura “Baile de negros”, feita em xilografia. A BN possui um exemplar desta gravura na Divisão de Iconografia, e está disponível para consulta na BNDigital.

A representação do povo brasileiro é constante na obra do artista, e vai ser junto de Tarsila do Amaral (1886-1973), Victor Brecheret (1894-1955), Anita Malfatti (1889-1964) e Ismael Nery (1900-1934) que Segall irá se tornar um dos ícones do modernismo no Brasil. Em 1932, ajuda a fundar a Sociedade Pró-Arte Moderna (SPAM), e organiza alguns bailes de carnaval em que define que as fantasias representem a massa popular brasileira, num simulacro de festa popular em que a alta sociedade representa o povo. Estas festas eram representadas em obras do artista.

 Apesar de ser um artista estrangeiro, Segall participou do movimento modernista brasileiro promovendo uma identidade para suas produções no Brasil e rompendo com o modelo europeu.  Segall viveu no Brasil até 1957, quando faleceu em sua casa, na capital paulista, por problemas cardíacos.