Tradição cristã celebra São Marcos e o leão alado

sábado, 25 de abril de 2020.
Notícia
São Marcos, tradição, cristã, evangelistas, Fundação Biblioteca nacional
São Marcos, de origem judia, esteve a serviço dos apóstolos Paulo e Pedro em suas viagens missionárias. É autor do segundo (e mais curto) dos quatro evangelhos do Novo Testamento (narrativas sobre a vida e a morte de Jesus Cristo). O evangelho de São Marcos deve ter sido o primeiro a ser escrito, no século I, a partir dos ensinamentos de Pedro aos primeiros cristãos de Roma, e serviu de fonte para Mateus e Lucas. Foi evangelizador no Egito e é considerado o fundador da Igreja de Alexandria, uma das sedes apostólicas do cristianismo primitivo. Provavelmente morreu por volta do ano 70, martirizado em Alexandria, no Egito.

Santo padroeiro dos notários e vidraceiros, venerado em várias igrejas cristãs, São Marcos é o patrono de Veneza, cidade italiana indissoluvelmente ligada ao evangelista e à sua representação simbólica – o leão alado –, emblema da cidade.

A gravura a buril feita por Agostino Veneziano, em 1518, foi criada a partir do desenho de Giulio Romano. Pertence a uma série de gravuras dos quatro evangelistas, provenientes da Real Biblioteca.

A gravura representa São Marcos de acordo com a tradição iconográfica dos santos evangelistas, no que concerne à vestimenta, idade e atributos: o rolo (suporte da escrita) e o leão alado.

Nessa imagem em que a profundidade espacial é acentuada pela posição dos corpos, volume das nuvens e principalmente pela obliquidade das linhas que circundam e iluminam a figura do evangelista, a identificação de tal personagem não se dá pelos traços fisionômicos, mas sim pelo elemento simbólico que o acompanha e o representa.

O leão alado é um dos quatro seres associados aos evangelistas. Os demais são: o anjo, representando São Mateus, a águia, representando São João e o boi, representando São Lucas.

Todos esses seres simbólicos estão relacionados aos tetramorfos, descritos pelo profeta Ezequiel (Antigo Testamento) a partir de uma visão. Seres com a forma semelhante à humana, mas com quatro faces: de homem, leão, boi e águia. Também são mencionados no Apocalipse de São João como os quatro seres viventes.

Diversos teólogos fizeram a associação entre esses quatro seres simbólicos e os evangelistas. Santo Irineu, na obra Adversus Haereses (Contras as Heresias, livro III, cap. XI, n. 8), escrita no século II, associou São Marcos à águia, e o leão a São João. Santo Agostinho,

na obra De Consensu Evangelistarum (livro I, cap. VI, n. 9), relacionou São Marcos ao homem (anjo) e o leão a São Mateus.

São Jerônimo, no prefácio aos comentários sobre Mateus, escrito em 398 e endereçado a Eusébio de Cremona, associou os quatro seres simbólicos aos evangelhos, da forma como reconhecemos hoje, amplamente adotada nas obras de arte.

O leão foi associado a São Marcos porque seu evangelho principia mencionando João Batista, missionário que prepara o caminho e anuncia a vinda de Jesus, e sua voz é a que clama no deserto (Vox clamantis in deserto).

Alguns Doutores da Igreja, como São Jerônimo, Santo Ambrósio e São Gregório Magno, estenderam essa relação simbólica à figura do próprio Cristo, cujas características estariam assim representadas pelos seres viventes: a humanidade, simbolizada pelo anjo (ser com a face humana); a onipotência, pelo leão; o sacrifício, pelo bezerro; e finalmente, a ressurreição e ascensão, pela águia.