A maldição da Múmia

domingo, 5 de abril de 2020.
Notícia
a maldição da múmia, Tuntacamon, Lord Carnarvon
Lord Carnarvon, pesquisador e egiptólogo, faleceu em 5 de abril de 1923, após uma grave pneumonia. A doença teria sido causada por uma picada de inseto durante as escavações em Luxor (Egito).

cobertura-6274-maldicao-mumia.jpg

Máscara Funerária
Máscara Funerária

O arqueólogo ganhou notoriedade após a descoberta da tumba do faraó Tutancamon, um dos maiores faraós do Egito Antigo, no Vale dos Reis, em 1922. Navegando pelas páginas dos periódicos Illustração Pelotense, de 1923, e Rádio, de 1926, encontramos referências à importância do seu trabalho.

Contudo, à descoberta seguiu-se uma verdadeira tragédia. Num espaço de apenas 12 anos, quase todos os envolvidos na empreitada já haviam morrido – alguns de doença grave, como Lorde Carnavon, outros de acidentes inexplicáveis. O jornal O Paiz, de 7 de abril de 1923, informa que o escritor britânico, Sir Arthur Conan Doyle, atribuiu a morte do egiptólogo à “maldição da Múmia”, vingança dos espíritos contra os profanadores do túmulo do faraó.

Amaldiçoado ou não, o fato é que o trabalho de Lord Carnavon gerou frutos e possibilitou novas descobertas arqueológicas da Antiguidade Egípcia na região, como podemos observar navegando nas páginas do periódico Eu sei Tudo, de 1954.

Parentes de Lord Carnarvon ainda moram na Inglaterra no Castelo Highclere, onde foi filmada a série de tv “Donwnton Abbey.

Interior da tumba de Tutancamon - Fonte: Universidade de Oxford