Hino Nacional, ou Hino 7 de abril...

segunda-feira, 13 de abril de 2020.
Notícia
Hino Nacional Brasileiro
Em 13 de abril de 1831 foi executado pela primeira vez o Hino Nacional Brasileiro. O Hino Nacional é um dos quatro símbolos oficiais que representam a República Federativa do Brasil. Os outros símbolos são a Bandeira Nacional, as Armas Nacionais e o Selo Nacional.

A música foi composta por Francisco Manuel da Silva (1795-1865) em 7 de abril de 1831, data da abdicação de D. Pedro I em favor de seu filho D. Pedro II. O compositor, maestro e professor foi fundador do Conservatório do Rio de Janeiro (atual Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro), e patrono da Academia Brasileira de Música.

A letra foi escrita em 1909 por Osório Duque-Estrada (1870-1927), poeta, crítico literário, professor e ensaísta, e membro da Academia Brasileira de Letras. Em dois versos do Hino ele faz referência à Canção do Exílio, de Gonçalves Dias: “Nossos bosques têm mais vida, Nossa vida no teu seio mais amores”.

Em 1890, o governo oficializou apenas a parte instrumental do Hino. O poema de Duque-Estrada foi oficializado como letra em setembro de 1922, por ocasião da comemoração do Centenário da Independência do Brasil.

O Hino teve diversas alterações na letra e no ritmo ao longo da história. Durante muito tempo foi chamado de Hino 7 de abril, Marcha Triunfal e, por fim, Hino Nacional. A parte instrumental da introdução possuía uma letra, atribuída a Américo de Moura, mas acabou sendo excluída. O cantor Vicente Celestino fez a primeira gravação, acompanhado pela Banda do Batalhão Naval, em 1917.

A obra “Hino Nacional Brasileiro” foi publicada em 1968 pela Sociedade dos Cem Bibliófilos do Brasil, sob a direção de Raymundo de Castro Maya. As ilustrações em água tinta e água forte são de Isabel Pons (1912-2002). Artista de origem espanhola, que veio para o Rio de Janeiro em 1945 e naturalizou-se brasileira em 1958. Foi gravadora, desenhista, pintora, professora e figurinista. A gravura aqui selecionada ilustra os versos “E o sol da liberdade em raios fúlgidos, Brilhou no céu da pátria nesse instante”.

Acesse