Há 189 anos, D. Pedro abdicava do trono do Brasil

terça-feira, 7 de abril de 2020.
Notícia
Dom Pedro I
D. Pedro I (1798-1834), filho de D. João VI e de Carlota Joaquina, nasceu em Portugal e veio para o Brasil junto com a Família Real em 1808, por conta da invasão das tropas francesas. Em 1820, por causa da chamada Revolução do Porto, D. João VI voltou para Portugal, deixando seu filho D. Pedro I como Príncipe Regente no Brasil.

Em 1822, D. Pedro I proclamou a independência do Brasil, tornando-se o primeiro Imperador do Brasil. Durante esse período chamado Primeiro Reinado, D. Pedro I enfrentou diversos conflitos e insatisfações contra seu governo autoritário e centralizador.

Após a morte de seu pai, D. João VI, em 1826, houve uma crise de sucessão no trono português. D. Pedro I foi aclamado Rei de Portugal, mas logo nomeou sua filha D. Maria II como herdeira do trono. Ele lutou contra seu irmão D. Miguel na chamada Guerra Civil Portuguesa, a fim de restaurar o trono para sua filha.

Na madrugada de 7 de abril de 1831, D. Pedro I abdicou em nome de seu filho D. Pedro de Alcântara (1825-1891), que tinha à época apenas 5 anos de idade. Escreveu um documento de abdicação:

“Usando do direito que a Constituição me concede, declaro que hei muito voluntariamente abdicado na pessoa de meu muito amado e prezado filho o Sr. D. Pedro de Alcântara. Boa Vista, sette de abril de mil oitocentos e trinta e um, décimo da Independência e do Império. – Pedro”

D. Pedro I embarcou de volta a Europa com sua esposa D. Amélia e sua filha D. Maria. Deixou no Brasil seus filhos D. Pedro, D. Januária, D. Paula e D. Francisca. Foram encarregados da educação do pequeno imperador e de suas irmãs: José Bonifácio de Andrada e Silva, Mariana Carlota de Verna Magalhães Coutinho (sua aia carinhosamente chamada de Dadama), e um empregado do Paço chamado Rafael.

A abdicação de D. Pedro I marcou o fim do Primeiro Reinado e início do chamado Período Regencial. Nesse mesmo dia o Príncipe Imperial foi aclamado Dom Pedro II, Imperador Constitucional e Defensor Perpétuo do Brasil”. Em 1840, foi antecipada a maioridade de D. Pedro II, aos 14 anos de idade, e ele tornou-se o segundo Imperador do Brasil, dando fim ao Período Regencial. Ele reinou até 1889, quando foi exilado do Brasil por conta da Proclamação da República.

Na imagem abaixo, litografia feita a partir de desenho de Debret, está representada a  aclamação de D. Pedro II. Em uma sacada do Paço Imperial está o pequeno imperador, de pé sobre uma cadeira, ao lado das irmãs e de outros membros da corte, sendo apresentado ao povo como novo sucessor do trono brasileiro.