Nota de falecimento: Ricardo Benzaquen de Araújo

Falecimento
história, Gilberto Freyre
É com pesar que a Biblioteca Nacional (BN) informa o falecimento de seu ex-colaborador, o professor, historiador e antropólogo Ricardo Benzaquen de Araújo, no último dia 1º de fevereiro. O sepultamento ocorreu nesta quinta-feira, às 14h30, no Cemitério do Caju, no Rio de Janeiro.

cobertura-3335-nota-falecimento-ricardo-benzaquen-araujo.jpg

Ridcaro Benzaquem de Araújo na FLIP. Fonte: Paraty.com.br
Ridcaro Benzaquem de Araújo na FLIP. Fonte: Paraty.com.br

Para Maria Eduarda Marques, diretora do Centro de Cooperação e Difusão da Biblioteca Nacional e ex-aluna de Ricardo Benzaquen, “o professor é uma referência na área da Teoria de História no Rio de Janeiro, responsável pela formação de uma geração de alunos nos departamentos de História da PUC-Rio e do IUPERJ”.

A diretora do CCD da Biblioteca Nacional lembrou também que Ricardo foi homem de extrema erudição e conhecimento teórico. Seu livro Guerra e Paz: Casa-grande e Senzala e a Obra de Gilberto Freyre nos Anos 30 (1994) é considerado um marco no estudo de Gilberto Freyre, tendo resgatado e revitalizado a discussão em torno da obra desse intelectual brasileiro.

A perspectiva ampla e aberta da História de Benzaquen o levou a estudar temas tão diversos e distintos como o Integralismo e o futebol, entre muitos outros. “Um dos aspectos mais marcantes em seu pensamento é a compreensão interdisciplinar das disciplinas humanas a partir de uma perspectiva antidogmatica e anticientificista da história”, disse Maria Eduarda.

Na Biblioteca Nacional, Ricardo Benzaquen de Araújo integrou o Conselho Editorial da Revista de História. A BN presta sua solidariedade aos amigos e familiares de Ricardo Benzaquen de Araújo.